Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Cultura

Pesquisa revela que brasileiro é generoso e doa para se sentir bem

Pesquisa revela que brasileiro é generoso e doa para se sentir bem

O brasileiro é generoso e se sente bem ao exercer a generosidade. A pesquisa Country Giving Report Brasil, feita pela Charities Aid Foundation, instituição ligada à caridade sediada no Reino Unido, revela que 68% dos brasileiros fizeram alguma doação em dinheiro no último ano e metade deles foi movida pelo desejo de bem-estar pessoal. O levantamento ouviu 1.313 maiores de 18 anos com acesso à internet distribuídos por todo o país. “Os brasileiros estão engajados nas causas sociais e dispostos a contribuir para a solução de problemas”, disse Paula Fabiani, diretora-presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis), voltado ao apoio ao investidor social e que foi responsável pela realização na pesquisa no Brasil. Segundo o estudo, feito entre junho e julho deste ano, cada doador desembolsou em média R$ 250 nos últimos doze meses. Se entre os que ganham mais os valores doados são maiores, quem tem rendimento menor fez doações proporcionalmente mais generosas. Em outras palavras, na faixa dos que recebem mais de R$ 100 mil ao ano, a média doada foi de R$ 352, enquanto aqueles cuja renda é inferior a R$ 10 mil anuais doaram R$ 120 em média. Este ano o levantamento não avaliou o montante total doado pelos brasileiros, mas a pesquisa anterior, realizada um ano antes, chegou a R$ 13,7 bilhões. Dinheiro para organizações religiosas Quase metade dos doadores (49%) declarou ter doado para organizações religiosas, tanto para as igrejas diretamente quanto para projetos desenvolvidos por elas. Em seguida, aparecem doações a trabalhos dirigidos às crianças (42%) e aos pobres (28%). Pouco mais da metade dos pesquisados (52%) realizou trabalho voluntário nos últimos 12 meses. Nesse quesito, o apoio a organizações religiosas também liderou (40% ) e os jovens de 18 e 24 anos foram os que mais participam (39%). Além da satisfação pessoal, outros motivos que levam o brasileiro a doar são a defesa de uma causa (41%) e a crença de que todos devem ajudar a resolver os problemas sociais (40%). Fonte: Agência do Brasil.
Projeto Memórias do Rádio Guarapuavano conta histórias de radialistas da cidade

Projeto Memórias do Rádio Guarapuavano conta histórias de radialistas da cidade

Um estudo realizado pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão, em 2015,aponta que o rádio continua sendo o segundo meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros, perdendo apenas para a televisão. Ele mistura informação, entretenimento, música e prende a atenção dos ouvintes com seus recursos sonoros.  O projeto de extensão Memórias do Rádio Guarapuavano surgiu com a proposta de reunir boas histórias desse antigo e estimado meio de comunicação, bem como de quem faz o rádio. Por meio de entrevistas, radialistas da cidade contam detalhes sobre sua vida profissional e também das emissoras pelas quais passaram. “A contribuição desta proposta está em reunir informações que acabam se perdendo com o tempo e em fazer o registro das memórias que integram o cenário radiofônico de Guarapuava, contribuindo para a história da mídia regional”, afirma a coordenadora geral do projeto, professora do Departamento de Comunicação Social da Unicentro, Layse Pereira Soares do Nascimento.  Nesta primeira etapa do projeto foram elaborados vídeos das entrevistas, programetes de rádio e seleção de fotografias.“Participar do Memórias do Rádio Guarapuavano é mostrar o quanto o rádio está presente na vida das pessoas. Além de rememorar traços da memória de Guarapuava, o projeto contribui na nossa formação profissional, graças ao seu caráter científico e à produção de conteúdo comunicacional”, afirma a estudante Fernanda Motter, do quarto ano de Jornalismo. A universitária Any Ossak, também integrante do projeto, destaca a participação feminina no rádio guarapuavano.“É um assunto que gosto. Logo no início, visitamos um colóquio com antigos locutores. Lá, eu conheci Marli Rosa (Central Cultura de Comunicação), uma das poucas mulheres a atuar no rádio. Na conversa com a radialista, percebi a importância de trabalhar e valorizar o local em que vivemos”, complementa.  Lançamento O evento de lançamento deste projeto será no dia 7 de novembro, às 19 horas, no Cinema do Campus Santa Cruz da Unicentro. Entre as atrações, estão uma exposição fotográfica e um bate-papo com os participantes e radialistas. Um dos organizadores do evento e integrante do projeto de extensão, Kleber Fernandes, afirma que a programação conta com várias atividades. “A ideia é apresentar à comunidade os resultados do projeto até agora, ou seja, a documentação, por meio de entrevistas, das histórias de radialistas guarapuavanos. No bate-papo de lançamento, alguns dos entrevistados compartilharão momentos marcantes das entrevistas. Também lançaremos o blog do projeto”, detalha o organizador.  O radialista Luiz Romário Vieira Martins, ou Mário Luiz, como é conhecido, é um dos entrevistados do Memórias do Rádio Guarapuavano. Somando mais de 30 anos de carreira, ele já trabalhou em diversas emissoras, como a Rádio Cultura de Guarapuava e a Antena 1 FM de Curitiba, com sucessos como o Clube Corujões e Salada Musical. Nomes como esse marcaram a vida de muitas pessoas e o radialista diz que se sente satisfeito em poder compartilhar recordações. “Me senti muito feliz em participar do projeto e estou esperando para ver como vai ficar depois de pronto”, salienta.  Participam da equipe executora do projeto a professora do Departamento de Comunicação da Unicentro, Éverly Pegoraro, a agente universitária Mônica Nunes e os alunos do Curso de Comunicação Social – Jornalismo, Any Ossak, Douglas Kuspiosz, Fernanda Motter, Kleber Fernandes, Luiz Felipe Panozzo, Noeli Almeida, Sabrina Ferrari e Walquiria Lima. O lançamento do evento integra uma atividade pedagógica da disciplina de Comunicação Organizacional.